ALIMENTOS: Complementação pelos Avós

Imprimir PDF

Nada mais correto que chamar para ajudar na mantença de uma criança seus avós, sejam eles maternos ou paternos, quando seus pais não conseguem sozinhos oferecer-lhe condições mínimas adequadas para sobreviver, estudar, morar dignamente.

Ainda mais quando um ou todos os avós possuem patrimônio e renda que possibilitam a prestação de pensão alimentícia ao neto menor de idade carente desse apoio material.

O que geralmente acontece em uma separação é o filho menor ficar com a mãe, que acaba arcando com todas as despesas de custeio da criança, que, não obstante ter sido beneficiada com a determinação judicial de prestação alimentícia por parte de seu pai, se vê abandonada materialmente, e até emocionalmente, por ele.

Assim, a única saída é chamar os avós para ajudarem na mantença do netinho amado. Todavia, o que poderia ser decidido rapidamente, em uma conversa amena, pois o que se almeja é o bem-estar de uma criança, acaba se transformando em um processo judicial carregado de mágoas, culpas, ressentimentos, culminando com o fim de qualquer possibilidade de diálogo, rompendo-se definitivamente o vínculo afetivo que um dia existiu entre a família.

Em vez de fazê-lo com amor, os avós acabam com raiva de quem pediu a pensão, em geral a mãe da criança, gerando um enorme mal-estar entre todos. O único prejudicado na estória toda? O neto, que passa a ser vilão, quando deveria ser protegido e acolhido no seio familiar.


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar